Em depoimento, governador do Estado afirmou que pediu cargo a promotor por conta das conversas

O governador Pedro Taques (PSDB) afirmou que o ex-secretário de Segurança Pública, promotor Mauro Zaque, acusou seu primo e ex-chefe da Casa Civil, Paulo Taques (atualmente preso), de ter comprado um barco com dinheiro ilícito.

 

A revelação está contida em um depoimento prestado por Taques, anexado ao procedimento que investigou suposta fraude de Zaque no protocolo da denúncia sobre o esquema de interceptações telefônicas clandestinas.

 

O procedimento foi arquivado pelo MPE após ficar comprovado que a fraude no protocolo da representação sobre as escutas ocorreu no âmbito interno do Executivo, sem qualquer participação de Zaque. O MPE ainda pediu que a Procuradoria Geral da República (PGR) apure se o próprio Taques teve participação ou não no delito.

 

Na oitiva, Taques afirmou que Mauro Zaque estava a exigir que ele demitisse o então comandante-geral da Polícia Militar no Estado, coronel Zaqueu Barbosa, em razão da suspeita de que o militar estava operando o esquema.

O secretário Marco Marrafon me afirmou que Zaque, quando estava no Lago do Manso, teria feito críticas a Paulo Taques. colocando em dúvida sua honestidade

 

Tanto Zaqueu quanto Paulo Taques foram posteriormente presos por conta das acusações.

 

“Em final de novembro ou início de dezembro de 2015, Mauro Zaque voltou com a afirmação da demissão de Zaqueu, afirmando que se isso não ocorresse ele sairia da SSP [Secretaria de Segurança Pública]; eu tinha uma viagem programada para Paris, então afirmei a Mauro Zaque que no meu retorno conversaríamos sobre o mesmo assunto”, disse o governador.

 

Na mesma época, segundo Pedro Taques, o secretário de Educação, Marco Marrafon, revelou que Mauro Zaque acusou Paulo Taques de corrupção.

 

“O secretário Marco Marrafon me afirmou que Zaque, quando estava no Lago do Manso, teria feito críticas a Paulo Taques, colocando em dúvida sua honestidade, apontando, inclusive, para um barco que segundo ele [Zaque], Paulo Taques teria adquirido com dinheiro ilícito. Eu falei para Marrafon colocar no papel, o que não foi feito”.

 

Pedro Taques disse que quando retornou de viagem, Mauro Zaque lhe propôs esquecer toda a confusão com o coronel Zaqueu e com o então secretário Paulo Taques, “afirmando que continuaria no cargo, até porque Zaqueu sairia no final do ano”.

 

“No entanto eu não concordei e pedi o cargo de SSP ao representado [Zaque], em razão das intrigas e fofocas, tendo assumido em seu lugar Fábio Galindo; com a saída de Zaque eu convidei Fábio Galindo para assumir a Secretaria de Segurança Pública, este pediu um tempo e posteriormente eu tomei conhecimento de que Zaque teria aconselhado Galindo a não assumir a Secretaria de Segurança Pública, mas que dias depois Galindo resolveu assumir tal Pasta”.

 

Veja fac-símile de trecho do depoimento:

print depoimento de taques sobre zaque 2

 

 

Midia News

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA