Coronel Evandro Lesco já havia sido detido em junho passado, acusa de participar de grampos ilegais

O coronel  Evandro Lesco, ex-chefe da Casa Militar do Estado, e o advogado Paulo Taques, ex-chefe da Casa Civil, acabam de ser presos pela Polícia Civil, por meio da Operação Esdras, que investiga o esquema de interceptações telefônicas ilegais operado por membros da Polícia Militar em 2014 e 2015.

 

Conforme adiantou o MidiaNews, em primeira mão, a operação foi deflagrada às 6 horas desta quarta-feira (27). No total, são 9 mandados de prisão15 mandados de busca e apreensão e uma condução coercitiva.

Evandro Lesco já havia sido detido em junho passado, por meio do Inquérito Policial Militar (IPM) que investiga o caso.

Paulo Taques também foi preso em agosto, por decisão do desembargador Orlando Perri. Ele foi colocado em liberdade uma semana depois, por decisão do STJ.

 

Outro alvo de mandado de prisão é o coronel Airton Benedito Siqueira Júnior, secretário de Estado de Justiça e Direitos Humanos. Ele reside no Florais Cuiabá.

As prisões e buscas foram requeridas pela delegada Ana Cristina Feldner, da Polícia Civil, responsável pelo inquérito do Tribunal de Justiça de Mato Grosso que apura o caso, e decretadas pelo desembargador Orlando Perri.

O nome da operação  é uma referência ao personagem Esdras (“Aquele que ajuda, Ajudador, Auxiliador”), da tradição judaico-cristã. Ele liderou o segundo grupo de retorno de israelitas que retornaram de Babilónia em 457 a.C. . Descendente de Arão, o primeiro Sumo Sacerdote de Israel, Esdras era escriba (copista da lei de Moisés) entendido na lei de Moisés.

 

Midia News

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA