A investigação contra José Adolpho será conduzida pela delegada Ana Cristina Feldner

O desembargador Orlando Perri, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, determinou a instauração de um inquérito contra o secretário de Estado chefe da Casa Civil, José Adolpho.

O inquérito será conduzido pela delegada Ana Cristina Feldner, na investigação que apura o esquema de grampos ilegais operado pela Polícia Militar.

O prazo do inquérito é de 30 dias.

Conforme apurou a reportagem, o inquérito irá apurar a fraude ocorrida no protocolo da Casa Civil, na denúncia relacionada às escutas clandestinas.

Uma auditoria realizada pela Corregedoria Geral do Estado (CGE) comprovou que houve fraude no sistema de protocolo do Governo.

Foi constatada a supressão de uma denúncia feita pelo promotor de Justiça  Mauro Zaque, do MPE, a respeito do esquema, que foi substituída  lpor outro assunto, sem qualquer relação com o caso.

Esse documento, que teria substituído a denúncia de Zaque, foi protocolado por um vereador de Juara, que já prestou depoimento ao Ministério Público Estadual.

MidiaNews

PERRI1

Abertura do inquérito foi determinada pelo desembargador Orlando Perri

A denúncia de Zaque aponta que a Polícia Militar grampeou, com autorização judicial, mais de 200 pessoas que não eram suspeitas de crimes, em 2014 e 2015.

Os alvos foram políticos, jornalistas, advogados, médicos, entre outros.

Na época em que Zaque fez a denúncia, o governador Pedro Taques (PSDB) chegou a afirmar que o promotor é quem teria fraudado o protocolo.

 

Outro lado

Por meio do Gabinete de Comunicação (GCom), o Governo do Estado lamentou que procedimentos judiciais e do MP sobre a conduta de secretários de Estado sejam “vazados” para a imprensa.

Em nota, o Palácio Paiaguás afirma que sobre a abertura do inquérito para investigar o chefe da Casa Civil, José Adolpho, o Governo e o secretário só se manifestarão quanto tomarem conhecimento formal da decisão do desembargador Orlando Perri.

 

Confira a íntegra da nota do Governo do Estado:

“O Governo de Mato Grosso lamenta, mais uma vez, que procedimentos judiciais e do Ministério Público envolvendo apuração de condutas de secretários de Estado sejam ‘vazados’ para a imprensa antes da notificação formal das partes.
Por esta razão, sobre a eventual abertura de procedimento investigatório sobre a conduta do atual secretário-chefe da Casa Civil, José Adolpho Vieira, sobre o sistema de protocolo, o Governo e o secretário só irão se manifestar quando tomarem conhecimento formal do procedimento supostamente determinado pelo desembargador Orlando de Almeida Perri.
 
De antemão, todavia, cabe ressaltar que a auditoria realizada pela CGE (Controladoria Geral do Estado) foi aberta de ordem do governador Pedro Taques em ato assinado pelo secretário José Adolpho, bem como a abertura de PAD (Procedimento Administrativo e Disciplinar) para elucidar as condutas dos servidores lotados no setor.
 
GCom – Secretaria do Gabinete de Comunicação do Governo de Mato Grosso”
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA