Governador Pedro Taques fez a entrega de cartões do Pró-família em Várzea Grande

O governador Pedro Taques (PSDB) voltou a afirmar, na manhã desta terça-feira (22), que a administração passada, sob o comando do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), deixou de realizar entregas à população porque estava comprometida em “roubar o dinheiro público”.

A declaração foi dada durante evento realizado em Várzea Grande e que marcou a entrega de cartões do Programa Pró-Família a moradores do Município.

O cartão é um complemento de renda no valor de R$ 100 para ajudar as famílias em situação de vulnerabilidade social. O recurso só pode ser usado para a compra de alimentos em mercados credenciados pelo Estado.

 

A administração passada roubou o dinheiro do Estado e ninguém sabe onde foi parar esse dinheiro, que não fizeram (esse programa) em administrações passadas

“Esse dinheiro já existia, é um dinheiro do Fundo de Erradicação da Pobreza. A administração passada roubou o dinheiro do Estado e ninguém sabe onde foi parar esse dinheiro”, disse Taques.

 

“Quero perguntar: por que não fizeram nas administrações passadas? Sabe por quê? Porque estavam roubando o dinheiro do cidadão, roubando o dinheiro que pertence ao povo”, afirmou o governador.

Na oportunidade, ele ainda rebateu críticas dando conta de que o auxílio é equivalente a uma “esmola”.

 

“Algumas pessoas criticam o programa dizendo que R$ 100 é uma esmola. Quem aqui nunca passou por necessidade? Eu já passei, todo mundo já passou. O Brasil passa por um momento de dificuldade, por isso o Estado tem que estar junto com essas famílias, nessa rede de proteção social”, afirmou.

 

Durante o evento, Taques lembrou que a transferência de renda é feita com uma série de condicionantes, como forma de viabilizar o desenvolvimento social das famílias.

 

Os beneficiários precisam, entre outros pontos, manter os filhos na escola e com vacinas em dia, além de realizarem cursos de qualificação e formação.

“Pedi ao secretário Max Russi para que criássemos um programa de proteção, uma rede de proteção social para as pessoas que mais precisam. Mas não vamos comemorar a entrada dessas pessoas nessa rede de proteção social. Vamos comemorar a saída de vocês, com emprego, com curso de qualificação, com a criança na escola, para que nós possamos mudar a realidade e a vida de cada uma de vocês”, concluiu o governador.

Midia News

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA