A necessidade de atrair investimentos e reduzir a burocraica levou o governador José Pedro Taques (PSDB) a optar por um titular ‘calejado’, como o suplente de deputado estadual Carlos Avalone Júnior (PSDB), na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec). “Nós precisamos consturir um sociedade que seja livre, que seja justa e que seja solidária. Não é o Estado que vai fazer isso! Não! Quem fará isso é a iniciativa privada. É o desenvolvimebnto econômico e é o progresso, que traz o desenvolvimento de uma sociedade”, argumentou Taques, no superlotado auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Cuiabá, na noite desta quinta-feira (14).

O chefe do Poder Executivo recorreu à tese do Papa Francisco, pontífice da Igreja Católica, para embasar a sua tese. “O Papa Francisco ensina que a paz é sinônimo de desenvolvimento. Onde tem desenvolvimento, existe paz! Existe tranquilidade”, reforçou Taques.

O problema do Brasil, segundo o governador de  Mato Grosso, é que existe liberdade,  as não há justiça. “A nossa socidade é livre, mas não é justa. Não é justa porque existem poucos que têm muito. E muitos que têm pouco. Entre estas duas camadas existe um espaço que se denomina injustiça social”, comparou ele.

Invocando o Artigo 1º da Constituição da República, e1e enfatiza a importância da iniciativa privada, para o desenvolvimento de uma sociedade. “Eu sou daqueles que entendem que o Estado não deve ser máximo nem mínimo. Estado deve ser do tamanho para atender e satisfazaer às necesdidades do cidadão. Nós pecisamos entender que, hoje, a paz é sinônimo de desenvolvimento”, sintetizou ele.

O goverandor disse que a sociedade que mais polui é a sociedade que não tem desenvolvimento. “Podem olhar nas pesquisas”, sugeriu ele.

Num elogio rasgado ao governador Dante Martins de Oliveira (in memorian), Tauqes enfatizou a importância da Sedec, nas últimas décadas. “Vou citar dois exemplos e quero reverenciar Dante de Oliviera. O primeiro, em 2001, Mato Grosso produzia 3% do algodão do Brasil. Mato Grosso instituiu o Programa de Desenvolvimento [Proalmat] e, hoje, passou a produzir 67% do algodão do Brasil”, recordou Taques.

“E mais: em 2001, ninguém conhecia Mato Grosso. Projeto   Mato Grosso – É Hora de Investir, com Dante e Avalone, serviu  para trazer turistas e empresas. Eles buscaram turismo e investidores”, exemplificou o governador.

Partindo dessa premissa, a Secretaria de Desenvolvimento busca paz, que hoje é sinônimo de desenvolvimento. “Eu acredito na iniciativa privada. Eu acredito nas regras do jogo. Eu acredito que o pactuado tenha que ser cumprido. É assim em um Estado que adota a iniciativa privada deve agir”, complementou Pedro Taques.

Taques impõe meta a Carlos Avalone de atrair investimentos, por considerar que

“Somente o crescimento de Mato Grosso e da produtividade permitirão o aumento dos salários e do emprego. Isso nos inspira a buscar maior alinhamento e parceria, com as políticas de formação profissional dos trabalhadores”, ensinou Avalone Júnior.

Carlos Avalone Júnior já foi secretário de Turismo e, também, secretário de Indústria e Comércio. Foi quatro  vezes suplente de deputado, sempre assumindo por períodos, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

Olhar Direto

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA