Uma ação de vandalismo destruiu vários objetos e artigos da igreja católica no município de Juína. O crime foi descoberto quando um fiel da igreja teria ido ao cruzeiro próximo das 12h00min desta quinta-feira (01) e comunicou a membros da igreja o ato. O bispo da Diocese, Dom Nerí José Tondello repudiou o ataque.

“Essa atitude nós lamentamos muito, o que aconteceu nós ainda não sabemos, quem se envolveu com este tipo de vandalismo, temos indícios fortes, a polícia vai investigar, vai fazer com que a verdade venha à tona com o tempo porque se vê que é um vandalismo não bem feito completamente pode se dizer e que sempre deixam vestígios e os vestígios podem conduzir a identificação de quem praticou”.

Imagens de santos e livros foram destruídas completamente; as polícias civil e militar foram chamadas e registrou a ocorrência, agentes da Politec recolheram parte do material para análise.

“Esperamos que no futuro os autores sejam responsabilizados, nós queremos nada mais nada menos que respeitem a nossa liberdade de expressão religiosa, aqui é um lugar muito querido, quase todos os meses muitas pessoas de fora passam por aqui para fazer a sua oração, os amigos e amigas de Nossa Senhora desde longos anos vem cuidando deste lugar, não é só a mim pessoalmente que me sinto ofendido, mas atingiu a comunidade católica nesta hora e isso fere o princípio da liberdade de culto, a liberdade de expressão religiosa que é assegurado pela Constituição Brasileira” desabafou o bispo.

O cruzeiro é um dos símbolos da igreja católica no município e foi construído com a participação e união de toda igreja; ele está localizado na MT-170 a aproximadamente 14 km da sede do município e foi fixado em um morro numa propriedade rural, o espaço para a construção do cruzeiro e da gruta de Nossa Senhora foi doado por uma família tradicional da cidade.

Fonte: Cleber Batista JNMT



Source link

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA